Dia Estadual da Equoterapia

Fisioterapeuta é essencial para a prática de equoterapia

A equoterapia busca o desenvolvimento biopsicossocial de pessoas portadoras de deficiência e/ou necessidades especiais.

crefito-9

equo2

 

 

O Fisioterapeuta é um dos três profissionais que compõem a equipe mínima multidisciplinar de equoterapia, método terapêutico e educacional que utiliza o cavalo numa abordagem interdisciplinar, nas áreas de saúde, educação e equitação. A equoterapia busca o desenvolvimento biopsicossocial de pessoas portadoras de deficiência e/ou necessidades especiais.

 

 

 

 

Com objetivo de difundir a prática, Mato Grosso instituiu no calendário oficial o Dia Estadual da Equoterapia, comemorado em 10 de maio, data da criação da Associação Nacional de Equoterapia (ANDE), ocorrida em 1989.  Para lembrar a importância de políticas públicas que visem o maior acesso ao método, o Conselho Regional de Fisioterapia e Terapia Ocupacional da 9ª Região (CREFITO-9) conversou com profissionais e praticantes de equoterapia.

 

Além do Fisioterapeuta a equipe mínima multidisciplinar de profissionais é composta por um psicólogo e um profissional de equitação. O Conselho Federal de Fisioterapia e Terapia Ocupacional (COFFITO) dispõe sobre o reconhecimento da equoterapia como um recurso terapêutico da Fisioterapia e Terapia Ocupacional na resolução Nº. 348, de 27 de março de 2008.

 

O Terapeuta Ocupacional é o profissional capaz de analisar as atividades com propósito de facilitar e adaptar o ambiente de trabalho (picadeiro interno e áreas externas), inserir atividades lúdicas para desenvolver as habilidades sensorial, motora, cognitivas e comportamental do praticante de equoterapia.

 

crefito-9

EQUO

Equipe multidisciplinar de equoterapia

 

A equoterapia proporciona diversos benefícios à recuperação dos praticantes, os seus efeitos terapêuticos são inúmeros, com destaque à autoconfiança e o autocontrole. Segundo a  Fisioterapeuta Dra. Juliana Caobianco, que trabalha há mais de 10 anos com a equoterapia,  há melhora significativa da psicomotricidade, na percepção do esquema corporal, facilidade no equilíbrio, além de avanços significativos no campo psicológico, de empoderamento, da socialização, facilitando a integração do praticante.

 

Ela acredita que ter um dia dedicado à equoterapia em Mato Grosso é importante para o reconhecimento da terapia, segundo ela, a data pode ser o primeiro passo para tornar o método mais popular.

 

“Essa data é uma grande oportunidade de mostrarmos ao serviço público a real necessidade, a melhora e o custo-benefício da equoterapia para o paciente. Por

meio desse método terapêutico é possível melhorar o quadro motor, psiquiátrico, psicológico sendo possível reduzir até mesmo quantidade de medicamentos que o Estado gasta com ele ou seja gera economia para os cofres públicos”, informa a Fisioterapeuta.

 

 

Casos –  A equoterapia é indicada para pacientes a partir de dois anos sem limite de idade, é recomendade para complementar o tratamento de crianças e adultos autistas, com síndrome de Down,  Microcefalia, A.V.E.(Acidente Vascular encéfalo , T.R.M (Traumatismo Raqui medular), depressão, P.C.( Paralisia Cerebral), entre outros.

 

Um dos casos atendidos pela Dra. Juliana é de um jovem de 22 anos que nasceu prematuramente com 27 semanas, passou mais de sete meses em uma UTI neo-natal e no momento da alta médica a mãe foi informada de que ele viveria em estado vegetativo. Segundo o diagnóstico, ele não enxergaria, não ouviria, não falaria nem andaria.  “Com o auxílio da equoterapia, esse  jovem contraria toda a literatura médica. Com 12 anos ele começou a andar e falar, hoje ele se localiza no meio e no espaço”, conta a fisioterapeuta.

 

As evoluções da equoterapia podem ser percebidas logo no início do tratamento. A esposa de um praticante adulto que teve complicações em decorrência de um câncer conta que com um mês terapia ele já apresentava melhoras significativas. “É nítido a melhora no equilíbrio dele, hoje ele já anda sozinho sem precisar de apoiar em mim, consegue fazer o movimento de rotação que ele havia perdido”.

 

Os pais de Gabriel Henrique Silva de oitos anos também notaram avanços no quadro do filho que é praticante de equoterapia há dois anos.  “É uma terapia que indicamos sem medo, nosso filho teve melhoras na respiração, na postura, no equilíbrio”, conta a mãe.

OBS: a foto usada nesta publicação foi autorizada pelos responsáveis do praticante que é menor de idade.

Fonte: Ascom CREFITO-9

 

 


Voltar
CALENDÁRIO 2019
Portal Transparência
Boletim Informativo Cartilha de Controle Social Estágio Não Obrigatório De carona com o fiscal

AGENDA DE EVENTOS

MAIS EVENTOS >
  • 23 a 25
    CONGRESSO BRASILEIRO E INTERNACIONAL DA ABRAFITO (COBRAFITO) - Belo Horizonte - MG - Informações
  • 23 a 25
    VI CONGRESSO BRASILEIRO DE FISIOTERAPIA EM ONCOLOGIA – CBFO - São Paulo - SP - Informações
  • 25 a 25
    Workshop Teórico Prático de Introdução ao Modelo de Ocupação Humana - MOHO - Brasília/DF - Informações
  • 29 a 31
    III Simpósio Internacional de Gestão de Projetos, Processos e Inovação na área da Saúde - São Paulo - SP - Informações

O Crefito-9 é mero divulgador do conteúdo publicado aqui: não nos restando responsabilidade, compromisso ou parceria com as publicações.

ENQUETE

Como garantir valorização e dignidade profissional?

Mudanças da legislação

União da categoria

Evitar privatização do SUS

CAMPANHAS E SERVIÇOS DO COFFITO

Transparência Fale Conosco Ouvidoria
Copyright © 2019 CREFITO-9 - CONSELHO REGIONAL DE FISIOTERAPIA E TERAPIA OCUPACIONAL DA 9ª REGIÃO